terça-feira, 17 de outubro de 2017

Tomada de posse com casa cheia

Decorreu nesta segunda-feira à noite a tomada de posse dos representantes eleitos para a Assembleia de Freguesia de Esmoriz, tendo em vista o quadriénio de 2017-2021. Diante de casa cheia, António Bebiano reassume assim a presidência para mais um mandato. Os sociais-democratas terão 11 representantes naquele organismo, enquanto o Partido Socialista, único partido da oposição representado, irá dispor de apenas 2 deputados locais. 
Aproveitamos para desejar um bom mandato a todos os que participam nesta missão de fazer crescer a nossa cidade. 




Foto de H. A.

Bombeiros de Esmoriz vieram em socorro dos colegas de Ovar

No passado Domingo, dia 15 de Outubro, uma viatura da corporação dos Bombeiros Voluntários de Ovar, enquanto transitava em direcção ao incêndio de Vale de Cambra, seria completamente abalroada na sequência de um aparatoso acidente. Dessa incidência, resultariam 5 operacionais feridos. 
Também envolvida no combate à frente de Vale de Cambra, seguia poucos quilómetros atrás a viatura da corporação esmorizense que poucos minutos depois se depararia com aquela realidade apavorante. Chegou-se a temer o pior!
Os soldados da paz de Esmoriz não hesitaram em parar a sua viatura, auxiliando imediatamente os cinco colegas de Ovar então feridos. Os nossos heróis ali estiveram até à chegada das equipas de socorro, e felizmente, dali não resultaria uma tragédia. 
Este foi mais um registo honrado que enche de orgulho os pergaminhos históricos da corporação dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz que viveu mais um fim-de-semana infernal, estando presente no combate a diversos fogos que alastraram pelo nosso país e que, ao todo, já causaram a morte de mais de 40 pessoas.




segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Conceituado Médium Brasileiro vem a Esmoriz

No próximo sábado, dia 21 de Outubro, pelas 17 horas, a Mutualidade de Santa Maria de Esmoriz vai receber um convidado muito especial. Trata-se do conceituado médium brasileiro Florêncio Anton, conhecido pela sua pintura mediúnica ou psicopictografia. Por outras palavras, trata-se de uma manifestação pela qual um espírito, através de um médium, se expressa por meio de pinturas ou desenhos. No caso de Florêncio Antôn, sabemos que este erudito brasileiro já produziu mais de 30 mil telas, garantindo que as mesmas são da autoria de importantes pintores desencarnados tais como Rembrandt, Picasso, Renoir, Van Gogh, Monet, Boudin, Da Vinci, Malhoa, etc.
Com olhos fechados e até em sítios escuros, Florêncio realiza as pinturas mediúnicas a óleo em transe, não só com os pincéis mas também com as mãos. O artista costuma, em média, produzir cada tela em cerca de 5 a 10 minutos. Isto sem nunca ter estudado pintura. 
Com uma página no Wikipédia e com várias demonstrações públicas em inúmeros países, Florêncio Antôn estará agora na Cidade da Tanoaria. 
Além de médium, Florêncio é igualmente enfermeiro, psicanalista e terapeuta.



Resultado de imagem para florencio anton

Imagem nº 1 - Florêncio Anton é um conceituado médium brasileiro conhecido pela sua comunicação artística com os espíritos.
Retirada de: http://diariodapintura.blogspot.pt/2010/10/





Imagem nº 2 - Retrato de um monge por Florêncio Anton, cuja autoria espiritual atribui a Rembrandt.


Grupo de Teatro Renascer abriu Festival com um Drama e poderá ter conquistado um Padrinho Activo

O Grupo de Teatro Renascer abriu oficialmente, no passado sábado, o XVIII Festival de Teatro de Esmoriz. O padrinho da nova edição deste mega-evento cultural seria Heitor Lourenço, actor português cuja carreira recheada resulta de uma participação alargada em séries e novelas exibidas nos principais canais televisivos portugueses.
Heitor Lourenço agradeceu, desde logo, o carinho do público esmorizense, chegando ao ponto de não se achar digno de semelhantes elogios, visto que no seu entender foi o Grupo de Teatro Renascer quem esteve ao mais alto nível naquela noite aquando da estreia da sua nova peça "O Silêncio das Horas". Além de repartir os louros do sucesso da abertura do festival com os demais protagonistas, Heitor Lourenço admitiu que se sentiu em casa porque o próprio teatro fez reavivar o início da sua prodigiosa carreira. Heitor disponibilizou-se ainda a voltar a Esmoriz e a oferecer qualquer tipo de colaboração ao Renascer, desejando ser um padrinho activo. 
Ao todo, mais de cem espectadores assistiram à abertura do festival que decorreria no auditório do Renascer (Castanheiros). Além da presença de Heitor Lourenço, é de realçar a apresentação da peça "O Silêncio das Horas" - um drama encenado por Vera Gomes em que uma amante vê o seu sofrimento a ser desmultiplicado por três personagens (Vera Gomes, Ana Ribas e Rita Marinheiro), enfrentando a dura realidade de perder o seu amado para a esposa deste. O amor chega a ser obsessivo e doentio, fazendo com que a depressão se apodere do destino de quem não se sente correspondido. A ilusão resultante da espera de um telefonema que nunca mais chega faz com que a amante, então protagonizada em simultâneo por três actrizes, se martirize ainda mais, procurando na bebida e na loucura os seus perigosos refúgios. A morte acabará por chegar, e sinistramente o telefone acabará por tocar poucos minutos depois. Teria sido o amado arrependido de não voltar para as suas mãos? Ou seria mais um engano a perpetuar a sua ilusão? 
Por outro lado, o evento ainda contemplou baptismos para os novos membros e colaboradores do Renascer. Seguiu-se a sessão solene que juntou alguns dos principais protagonistas. Destacamos em especial a intervenção de João Gomes, presidente da colectividade, que relembrou os 25 anos de existência da colectividade e os 18 anos consecutivos de realização de festival, missões que exigiram sempre uma elevada dinâmica e sentido de responsabilidade. João promete mais um festival com peças das mais diversas naturezas (dramas, comédias, musicais, peças infantis, etc) e anunciou, com alegria, que o X Fórum Permanente de Teatro (destinado à formação em inúmeros painéis inerentes à arte da representação) irá voltar ao seu berço - Esmoriz, prevendo-se a sua realização em Março de 2018. 
Por fim, decorreria um concerto musical por parte de uma jovem banda daquela colectividade, pontificando as vozes de Rui Pedro Tavares e Ana Carolina Ribas que cantariam assim algumas músicas portuguesas e estrangeiras da moda. 
O festival prosseguirá com mais peças de teatro e outras surpresas, devendo terminar a 25 de Novembro.

















domingo, 15 de outubro de 2017

Esmoriz Ginásio Clube "cinquentenário" estreia Museu e Memorial

No passado dia 14 de Outubro, o Esmoriz Ginásio Clube assinalou 50 anos de existência. O clube fundado em 1967 decidiu comemorar este marco histórico através de diversas iniciativas, nomeadamente o hastear das bandeiras (com a presença da fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Esmoriz), a missa destinada a recordar antigos jogadores, técnicos, dirigentes e sócios já falecidos que então haviam servido outrora a instituição, a inauguração de um memorial no Palacete dos Castanheiros, a apresentação do novo Núcleo Museológico do clube e por fim, um jantar que juntou personalidades influentes da região e que culminaria com a realização de algumas homenagens.
No entanto, o primeiro dos dois pontos mais altos prenderam-se, sem dúvida, com a criação de um Memorial no Palacete dos Castanheiros que seria alusivo ao célebre Campo da Eira, onde o Esmoriz Ginásio Clube havia principiado o seu lindo legado desportivo no voleibol. Como se sabe, aquele reduto "ancestral" localizava-se mesmo por cima do edifício da actual biblioteca, e fora ali que começaria a nascer a verdadeira Universidade do Voleibol.
Como segundo ponto mais alto seria apresentada numa das salas do pavilhão do Esmoriz Ginásio Clube o novo Museu "José Romeira e Américo Ferreira da Silva". Trata-se de um pequeno núcleo museológico onde estariam presentes os troféus conquistados pela instituição desportiva (em especial, os dois campeonatos nacionais de séniores masculinos das temporadas de 1982-1983 e 1983-1984, a Taça de Portugal em seniores masculinos alcançanda na época de 1981-1982, e o Campeonato da II Divisão Nacional em seniores femininos em 1986-1987), os galhardetes e as bandeiras do clube, os retratos dos sucessivos presidentes da instituição, recortes jornalísticos inerentes à participação do Esmoriz Ginásio nas competições europeias, fotografias de plantéis históricos, fichas de inscrições de antigos jogadores, etc.
O pequeno Núcleo Museológico herdaria, na sua denominação, os nomes de dois notáveis dinamizadores do voleibol da nossa terra - o Prof. José Romeira (que demonstrou a sua emoção pelo referido gesto e que sempre procurara cativar vários jovens para a prática desta modalidade) e Américo Ferreira da Silva (já falecido e que fora representado pelo seu filho que saudara a maturidade institucional do Esmoriz Ginásio Clube).
António Silva, Presidente do Esmoriz Ginásio Clube, recordou o mítico trajecto do clube iniciado no Campo da Eira e revelou que a criação do Museu procurou sobretudo recordar muitos daqueles que, directa e indirectamente, contribuíram para o crescimento deste clube.
O Esmoriz Ginásio Clube evocou a sua história. E não é caso para menos. Em 50 anos de história, o clube já comemorou 52 títulos nacionais distribuídos por todos os escalões, demonstrando ainda ser uma verdadeira Universidade do Voleibol, tendo formado atletas e técnicos de elevado gabarito.
Segue-se a nossa reportagem fotográfica.















































































Versos Cá da Terra XIX



Talvez
(Poema da autoria de António Maria)


Talvez que de meu pó floresça um verso
Como se fosse um grito no deserto,
Sussurro de asa indefinido, incerto,
Choro de vaga pelo mar disperso.

Talvez que alguém dê conta por acaso
Da lágrima que a pedra chora à tarde
Quando no Estio o sol nas fragas arde
E se derrama pelo campo raso.

Talvez que me recordes levemente
No doce Outono da terra cansada,
Na paz sem fim de noite enluarada
No curso musical duma corrente.

Na brisa que da mata seus acordes
Compõe nas longas tardes de Verão
E disso nasça um verso, um choro, um som,
Nos quais, por mero acaso, me recordes. 



Resultado de imagem para outono

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Associação Amigos do Cáster promove eco-passeio no Cais do Puxadouro (Válega)

7º Eco Passeio Ria de Aveiro – Canais e Esteiros de Ovar
Organização Amigos do Cáster e CENÁRIO
Alerta! Acerto de horário.
O encontro dos participantes deste Eco-Passeio será às 12h00 (meio-dia) de sábado, 14 de Outubro de 2017, no Cais do Puxadouro, Válega, Ovar. Os participantes devem chegar mais cedo para um breve almoço, momento que abrirá um curto espaço de confraternização. Cada participante trará o seu almoço.
A partida das embarcações do Cais do Puxadouro será às 13h00.
Nota Informativa:
Com o objectivo de explorar o enorme potencial natural de um dos mais importantes sistemas lagunares de Portugal a Ria de Aveiro, os Amigos do Cáster organizam, com a colaboração da associação CENARIO, um Eco Passeio na Ria de Aveiro a realizar-se, sábado, 14 de Outubro.
Este Eco Passeio dá oportunidade aos participantes de conhecerem, através de um passeio de barco pelos canais da ria de Aveiro, alguns locais característicos do concelho de Ovar promovendo também o convívio entre todos. A participação está sujeita à inscrição no evento até, sexta-feira, 13 de Outubro pelas 20h00 e terá um custo de 5,00 Euros.
A inscrição deve ser endereçada para info@amigosdocaster.org
Pagamento pode ser efectuado através do NIB 0010 0000 2505 5800 0015 6. Disponibilidade para 12 participantes.
O local de encontro será no Cais do Puxadouro às 12h00.
Apareçam!

Associação Amigos do Cáster